Lockheed Martin quer construir rede cósmica 5G

A subsidiária norte-americana da Lockheed Martin For cosmic technology development anunciou hoje um acordo sobre interesses estratégicos alcançados com a empresa de startups satélite Omnisspace “sobre a possibilidade de desenvolver em conjunto uma rede 5G no espaço”.

“Isto decorre de uma visão partilhada de uma rede global de 5G, que permite aos utilizadores fazer cruzamentos sem emenda entre redes de satélite e terrestres”, disse o chefe executivo da Omnispeace, Ram Viswanathan, à CNBC.

Destacou a “melhor experiência” da Lockheed Martin em vários mercados, nomeadamente um vasto leque de clientes no Ministério da Defesa.

O vice-presidente executivo da Lockheed Martin Space, Rick Ambrose, disse que o espaço Startup Omnis “tem uma visão muito poderosa de como oferecer este serviço… e como mudar para um dispositivo móvel.”

Segundo ele, as duas empresas interagem sobre o assunto há cerca de um ano. O acordo de interesse estratégico cimenta ainda mais a colaboração entre os dois no desenvolvimento de uma rede híbrida que combina a gama da rede global de satélites, conhecida na indústria como constelação, com a capacidade dos operadores de redes móveis sem fios.

O espaço Omnis, com sede na Virgínia, angariou 60 milhões de dólares em capital empresarial no mês passado junto de investidores liderados pelo Fortress Investment Group, e desde a sua criação, em 2012, angariou 60 milhões de dólares em capital empresarial junto de investidores liderados pelo Fortress Investment Group. Até agora, angariou 140 milhões de dólares.

Ambrose disse que ainda era “muito cedo para dizer” se a Lockheed Martin iria investir no espaço Omnis por conta própria, mas notou que as duas empresas iriam “explorar várias opções diferentes” à medida que a parceria se expande, de acordo com a CNBC.

Deixe uma resposta